segunda-feira, 6 de agosto de 2018

IDEALISMO



        IDEALISMO


Quisera eu
Que tudo brotasse
Na terra que outrora
Não foi de ninguém.

Quisera
Que a fonte
Do pranto
Secasse
A mágoa
Acabasse
E existisse
Só bem.

Quisera
Que a vida
Não fosse
Perdida
Com tanta fadiga
Sem nada
Render.
Quisera                                                                      
Que os homens
De idéias
Formadas
Pr'os campos
Dos livros
Chegassem
A viver.

Quisera
A irmandade
De todos
Os povos
E os fogos
Da guerra
Não mais
Acendessem.

Quisera
A verdade
Na causa
Que fosse,
No campo
Que fosse,
Os direitos
Vencessem.

Quisera
A maldade
No canto
Dantesco,
No inferno
Grotesco,
Na chama
Da morte.

Quisera
O triunfo
De todas
As causas,
As causas
Formadas
Dos seres
Mais  cultos.

Quisera
O extermínio
De todos
Sofismas
Morressem
As cismas,
A fome
E seus vultos.

Quisera
Os sibários*
Já fora
Do mundo
E fosse
Infundo
Que o ouro convém.

Quisera
Ver findo
O povo
Que rindo
Acaba
Com o povo
Pra mais
Viver bem.


Quisera
Quem dera
O opróbrio
E a guerra
Na lama
Escondidos
Na chama
Quem dera.
                                               ( * O mesmo que sibaríticos).
Rio de Janeiro, 1965.  

quinta-feira, 26 de julho de 2018

POESIA DO LIVRO VERSOS LIVRES (DA MATÉRIA À MATÉRIA)




                  CALEM O POETA




FUZILEM A ALMA DO POETA
MATEM EM MIM
TUDO AQUILO QUE ME RESTA:
COMO SIMBIOSE MÍSTICA -
O AMOR COMPLEMENTAR,
O CORPO INCULTO,
A DOR POR SATURAR,
A MENTE AINDA BRUTA,
O SACRIFÍCIO POR CALAR
O GRITO DO ABSURDO
E O FANTÁSTICO
PARA SUFOCAR O QUE HOJE SOU.


SANGREM A VEIA
IMORREDOURA DO CANTANTE
PARA QUE NÃO POSSA CORRER
PAIXÃO ALGUMA, NEM VERSO
QUE SE OPONHA AO MEDO...
E QUE NENHUMA MULHER LHE SEJA MUSA.
QUE SEJA A SUA NECESSIDADE
O RUMO SOCIAL E O COMBATE
AOS VENDILHÕES DO LAR...
               
SUA VERDADE  - A JUSTIÇA COERENTE.
SEU TEMA - A NEGAÇÃO DA FOME E DA CACHAÇA.
SEU IDEAL - A SOCIALIZAÇÃO DOS MEIOS
QUE CONDUZEM OS HOMENS AO INFINITO
SEM DEUS E SEM MITOLOGIA.


           RIO DE JANEIRO,     31/10/73

LIVROS PUBLICADOS